terça-feira, 13 de maio de 2008

Duas Quintas '2004

Trata-se de um tinto histórico, um vinho que toda a gente conhece e muitos, muitos, muitos apreciam.

Do Douro (D.O.C.), da Casa Ramos Pinto. Como se pode ver pela fotografia, desta vez foi provado (bebido até ao fim) um espécime da colheita de 2004. E assim. . .

No copo, cor granada intensa com orla violeta. Começou fechado. Uns minutos e umas voltitas no copo depois, surgiu um aroma a frutos silvestres (amora, bagas) daquelas coisas que nos deixam, a nós, putos da parvónia, cheios de nostalgia. Enfim. Bastante intenso e agradável. Na boca, taninos sólidos, bem presentes, mas não ofensivos. Não muito encorpado. O final, consistente com os aromas iniciais, só pode ser considerado bom.

E pela milésima vez, ou quase, gostei. É um vinho fresco, mais elegante que espectacular, e que ligou maravilhosamente com umas Maestras grelhadas na chapa.

Custa entre 8,50€ e 10€, e há sempre, está à venda em todo o lado.

16