segunda-feira, 26 de maio de 2008

Magnólia

Floresceu numa manhã.


(...)


A magnólia, / o som que se desenvolve nela / quando pronunciada, / é um exaltado aroma / perdido na tempestade,

um mínimo ente magnífico / desfolhando relâmpagos / sobre mim.


(Luiza Neto Jorge, 1966)