sexta-feira, 6 de junho de 2008

Outeiro da Águia — Colheita Seleccionada '2003

De ontem, outro tinto do Alentejo. O vinho de ataque da Herdade do Meio.

Cor granada profunda.

Cheira a frutos vermelhos com toques de vegetal seco, erva campestre, restolho.

Apresenta muitas, envolventes, notas de estágio: madeira húmida, madeira velha, baunilha, cacau — talvez em demasia. Para o meu gosto, acho que os elementos frescos, doces, vivos deste vinho não possuem profundidade suficiente para contrabalançar um muito presente carácter pesado, outonal, de frio húmido, murcho, morto, que acaba por prevalecer.

E o fio da história prossegue intocado na boca: fruta concentrada mas abafada, pouco gulosa, ora a evocar passas, ora cerejas e ginjas há muito conservadas em álcool.

Final mediano.

Para os 8€ que pedem por ele, é caro.

13