sexta-feira, 25 de julho de 2008

Bolo de Caramelo e Nozes

Dado que este pode ser um bolo de aproveitamentos, o número de claras de ovo disponíveis para a sua elaboração pode variar. Assim, pode dar jeito redimensionar a receita, adaptando as quantidades dos demais ingredientes em função do número de claras que tenciona utilizar. Pela minha experiência, o bolo só é viável se levar 6 claras ou mais. Imagine, a título de exemplo, que fez outra receita qualquer, da qual sobraram 13 claras.

Sabe, vendo a receita (lá mais abaixo), que este bolo leva 170g de açúcar e 8 claras, ou seja:
170/8 = 21,25 ≈ 21g de açúcar por clara.

Fazendo o mesmo com a farinha, terá:

250/8 = 31,25 ≈ 31g de farinha por clara.

Ou seja, generalizando:

m (ing. por clara) = m (ing. da rec. original) / nº de claras (da rec. original)

Por fim, apenas tem de multiplicar as quantidades dos ingredientes em questão "por clara" pelo nº de claras disponíveis, segundo a (simples) regra:

m (ing. de que precisa) = m (ingrediente por clara) x nº de claras (que tem)

Por exemplo, para a farinha, recordando que se quer adaptar a receita a 13 claras:

m (farinha de que precisa) = 31,2 x 13 = 405,6 ≈ 400g de farinha

E assim sucessivamente. Note que este raciocínio é válido para uma infinidade de receitas, e que pode calcular as quantidades de qualquer ingrediente em função de qualquer ingrediente. Agora um pouco de optimização: experimente, se tiver paciência para tal e por acaso nunca o fez, recalcular as quantidades dos ingredientes de uma receita em função do ingrediente da dita que possuir em menor quantidade. Esta pode ser, muitas vezes, a solução para aqueles dias em que se queria preparar algo e depois se desiste por não haver um dado ingrediente em quantidade suficiente e não dar jeito nenhum sair só para o ir buscar. Mas, cuidado! As receitas são todas mais ou menos escaláveis, mas não completamente. Sobretudo quando se tenta trabalhar com quantidades muito menores que as das receitas originais.

Aposto que a maioria de vós já sabe e faz isto há muito tempo, mas nunca se sabe a quem pode vir a dar jeito, por isso aí ficou.




Então vamos ao bolo, que é um meus favoritos.


Ingredientes da massa:

250g de farinha;
170g de açúcar;
150g de margarina;
8 claras;
1 colher de sopa de fermento;


Ingredientes do caramelo:

200g de açúcar;
150g de miolo de noz;


Preparação:

Faz-se primeiro a massa do bolo. Batem-se as claras em castelo bem firme. Reserva-se. Noutro recipiente, com a varinha mágica, mistura-se o açúcar à margarina — que, se estiver muito dura, pode ser amornada — até se formar um creme fofo, esbranquiçado. A esta mistura se junta a farinha, já com o fermento incorporado, com a ajuda de uma colher de pau. Mexe-se até a mistura ficar mais ou menos homogénea. Por fim, envolve-se a dita mistura nas claras, também com a colher de pau, e deita-se tudo numa forma de buraco, previamente untada e enfarinhada. Nota: Desta vez, tinha claras congeladas que haviam sobrado de outro dia. Depois de as colocar no recipiente onde ia batê-las, ainda meio congeladas, limitei-me a pisá-las com uma colher de modo a desfazer os pedaços de gelo maiores. Juntei uma pitada de sal grosso e bati, como de costume, com a batedeira eléctrica. Não só cresceram muito depressa como ficaram realmente firmes.

Pincela-se com um pouco de óleo o fundo de um tabuleiro, de preferência anti-aderente, onde se espalham as nozes de forma tão uniforme quanto possível.

Depois prepara-se o caramelo, o mais clarinho possível. Numa frigideira larga, colocam-se 200g de açúcar. Vai ao lume forte. Quando a orla do açúcar começar a derreter, mexe-se, empurrando o açúcar já liquefeito para o centro, menos quente, da frigideira. Isto até já não restarem (ou quase) cristais de açúcar.

Verte-se então o caramelo para cima das nozes e deixa-se solidificar. Uma vez cristalizado, parte-se com pancadas secas e fortes.

Escorre-se o óleo do fundo do tabuleiro e deitam-se os pedaços de «torrão de caramelo com nozes» por cima da massa do bolo, na forma de buraco. Por uma questão de densidades, estes torrões irão afundar-se. Depois alisa-se o topo da massa com uma espátula e leva-se ao forno a 180ºC durante 50 minutos.

Ao desenformar, não espere que este bolo fique direito ou bonito (por causa do caramelo). Mas é uma enorme delícia, ideal para acompanhar com um bom vinho do Porto.

Experimente!