segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Cabeça de Burro — Reserva '2005

Este tinto do Douro foi produzido a partir das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca pela Cooperativa Vitivinícola do Peso da Régua — Caves Vale do Rodo. Dizem que estagiou em madeira e em garrafa, só não especificam em que condições e durante quanto tempo.

Tal como aconselhado, decantei-o meia hora antes de o servir a 18ºC.

De cor, vermelho-rubi de intensidade mediana.

No que aos aromas diz respeito, ataque um bocadito fechado. Depois, evidentes — predominantes — as notas de frutos vermelhos: morangos e framboesas ao natural, frescos e ácidos. Intenso fundo especiado, às vezes a querer ser picante.

Dedo de cacau amargo e mais fruta na boca, a terminar entregue a notas de barrica, sobretudo abaunilhadas. Travo ferroso, ensanguentado. Bem estruturado, de taninos macios — embora ainda não de todo —, pareceu-me bastante elegante, embora a pender um pouco para o lado da acidez.

No entanto, mais ou menos metade da garrafa acabou guardada no frigorífico para o dia seguinte. E aí veio a surpresa: o vinho tinha melhorado. Arredondou. Perdeu acidez, a madeira pareceu-me surgir mais suave, a fruta começou a mostrar-se maior, mais densa e também transformada — tantas sugestões de passa de Corinto! — e pareceu-me terem surgido bem mais impressões de cabedal, cobrindo a relativa secura das seivas...

Infelizmente, também ligeiro toque de oxidação.

Ainda não se mostra tão complexo como imagino que vá ser, mas está um vinho bem equilibrado e tudo aponta para que vá envelhecer bem. A própria garrafa o indica como vinho de guarda para os próximos 5/10 anos.

Sempre gostei muito de vinhos assim, bem secos e de perfil delicado. Custou 7€.

16