terça-feira, 1 de julho de 2008

Meandro do Vale Meão '2005

(...)




É um vinho genuinamente duriense, feito a partir das 5 castas recomendadas para a Região Demarcada do Douro pelo estudo que João Nicolau de Almeida apresentou em 1981 na Universidade de Trás-os-Montes: Touriga Nacional (50%), Touriga Franca (20%), 20% de Tinta Roriz (como quem diz, Aragonês, Tempranillo), Tinto Cão (5%) e Tinta Barroca (5%).

É um vinho que já foi sobejamente provado e aprovado. Senão vejamos: Mark Squires diz que (...) is approachable at first and very flavorful, with fine focus. Tannins pop up on the finish with fifteen minutes of air. It is beautifully balanced. In its own right, it is a nice presentation, with acceptable structure for its price range and reasonable depth. However, it is a little on the foursquare side and a bit short, although like its big brother, the regular Tinto, its fruit is delicious. After its initial wake-up, the longer it airs out, the less impressive it is. It is a pretty fair value for the price. Drink 2007-2012, e dá-lhe 89 pontos. A The Wine Spectator de Dezembro de 2007, 91 pontos, e Jancis Robinson dá-lhe 16,5 (em 20).

Comigo, também se portou bem.

Começa um pouco fechado. O aroma a frutos silvestres cresce após algum arejamento e é delicioso, surgindo alternado com baunilha, alguma especiaria amarga e um ou outro ligeiro aroma de farmácia (pareceu-me éter). Na boca é suave, denso, bastante profundo, fresco e muito bem estruturado, com muitos taninos que ainda não se encontram no ponto ideal de suavidade. Este vinho vai envelhecer bem. Os sabores que proporciona vão do frutado que confirma o nariz ao frescor dos elementos minerais que me deixaram a pensar em granito, passando pela sensação de acidez domesticada do caroço de azeitona preta e pelas boas notas de madeira que predominam no final.

A 11€, apresenta uma grande relação qualidade/preço.

17