terça-feira, 1 de julho de 2008

Quinta da Esperança '2004

Produzido pela Encostas de Estremoz, este tinto com 14% vol. alcoólico é composto por 70% de Touriga Nacional, 20% de Trincadeira e 10% de Aragonês.

Ao que parece, trata-se de um vinho bastante premiado: medalha de ouro Selections Mondiales des Vins (Canadá '2007), medalha de prata Mundus Vini '2006, medalha de bronze no International Wine Challenge '2007 e distinção Melhor Compra pela Revista de Vinhos em 2006.

Que já passou pela boca de Mark Squires:

The 2004 Quinta da Esperanca is bright, with tannins along the edge, and moderate flavors. It finishes a bit short, and fades to nothingness very quickly. For an everyday quaffer, it is not a bad deal, although it has little distinction. Drink now2009. 83 pts.

Mas a crítica deve ser sempre tomada com um grão de sal. Enfim.

Decantei-o antes de o consumir — o que, aliás, faço regularmente: se há vinhos que pouco ou nada ganham com este processo, ainda não ouvi falar de nenhum (vinho «não-velho») que com ele saísse prejudicado — a uma temperatura de 17/18ºC. A cor, escurinha, fugia para o granada. O aroma, dominado pelos frutos pretos, sobretudo ameixa, lá ia revelando uma ou outra nota baunilhada. Na boca, achei que possuía um corpo decente e bastante equilíbrio. A fruta, doce, já algo compotada, evoluía no final para sabores maltados, mais quentes e açucarados, evocando — vivamente — Ceregumil.

Achei-o engraçado. Mas desta vez, pelo menos desta vez, o Sr. Squires tinha razão...

4,50€.

14