quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Casa de Saima — Garrafeira '2001

DOC Bairrada — 95% Baga — estagiou um ano e meio em tonéis de carvalho avinhado.

Quanta tipicidade!

De uma densa onda floral e balsâmica despontam notas intensas a castanhas / baunilha / cabedal / carnes de fumeiro — atrás vem terra fria e húmida — e húmus bem vivo — cogumelos / trufas / folhas mortas molhadas — e lenha e fumos de lenha mal seca — madeiras / pimentas — sugestões de banana e anis — mas por onde andará a fruta? Diluída na doce nuvem mineral? — evidentemente!

O triângulo acidez / álcool / taninos — perfeitamente equilátero — que corpo tem! — contudo parece leve — e não se lhe nota ponta de álcool — e os taninos, aveludados — tantos! — quase é preciso ir à procura deles — tal o encanto das flores — da fruta quase em rebuçado — e mais pimenta / mais cabedal — mais terra fria de depois de chover — bafio de adega — vívidas memórias de manhãs calmas — manhãs frias de Outonos passados quando entre as folhas secas — os cogumelos — musgos — orvalho a escorrer por entre as pedras — apanhava castanhas — do chão — cheirava assim quando esmagava os ouriços com o pé e me baixava para os apanhar.

Termina doce, com fruta vermelha — tão delicada — em fundo mineral.

Ainda tem uma longa vida pela frente e já está assim... Que maravilha! Custou 15€. 18




P.S.

Acompanhou uma omeleta de espargos e pão de azeite caseiro. Que retumbante sucesso!