segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Dona Ermelinda '2006

Mais vinho. E outro monocasta, este um Castelão das Terras do Sado, mais especificamente da Casa Ermelinda Freitas.

No rótulo, bilingue, D. Leonor Freitas — que é quem manda agora no negócio — diz que este vinho provém de cepas com mais de 30 anos, tem um carácter bem vincado e é um tributo à Senhora sua Mãe.

Simples, faz lembrar um intenso vento verde, herbáceo, que também transporta frutos pretos — sobretudo ameixas — e alguma madeira aromática e um pouco adstringente, resinosa. Bem estruturado na boca, um pouco alcoolizado talvez, mas apetecível — talvez pela boa acidez, na conta certa, que o torna fresco e lhe transmite certo aroma a azeitonas verdes. Mostra ainda laivos de ferrosidade, de sumo de carne, e bastante chocolate e café — dê-se-lhe tempo e ar. Há que admiti-lo, que bonita expressão da casta! Final mediano. Para o preço — 3€ e tal — é muito bom.

15