sábado, 9 de agosto de 2008

Tapada de Coelheiros '2004

Do Alentejo, trazendo a classificação de Vinho Regional, este é o vinho mais conhecido da Herdade dos Coelheiros. Pois não só o lugar é bonito e cheio de encanto, também os vinhos de lá que me têm passado pela mesa não se têm portado nada mal. Este é feito a partir de Cabernet Sauvignon, Trincadeira e Aragonês. Estagiou em madeira de carvalho — 30% da qual, nova — durante 12 meses, e ainda outros tantos em garrafa até sair para o mercado. Querendo mais detalhes, pode sempre consultar a ficha fornecida pelo produtor aqui.

Uma nota de prova de Pedro Gomes, datada de há coisa de um ano atrás, está disponível para quem a quiser ler aqui.

Cor rubi, bastante intensa. Aroma intenso e persistente, com tendência a crescer com o arejamento, a frutos vermelhos doces. Sempre presente, destacado componente vegetal — pimento verde. E madeira, bastante, a ligar bem com os demais aromas, com um traço de peculiaridade que achei irresistível — lá no fundo, a dar a ideia de estar a transportar a demais carga aromática às costas para só no fim se mostrar, fortíssimas notas de macerado de caroços de cereja — tal e qual o elemento amadeirado, por assim dizer, o fundo, do «cherry brandy» Bols.

Na boca é bem seco, com a fruta a surgir menos doce que no nariz — mas nem por isso menos expressiva — sempre bem ligada aos sabores verdes, às vezes quase herbáceos, às especiarias, às sugestões de resina amarga e mais caroços de cereja — e às notas animais, de sangue, de sucos de carne, que acabam por arredondar a austeridade do componente vegetal, deixando na cabeça ideias de suculência. Umami?! — Talvez qualquer coisa... Porque não? Está elegante, muito bem estruturado, cheio de presença, sem no entanto se destacar pelo peso ou viscosidade, de álcool suave e taninos macios e persistentes. Termina bem.

Não é um monstro de complexidade, não. Mas também não mostra pouco. E o que mostra, sem dúvida, está bom. Deu muito prazer tomado só, em jeito de prova, mas ainda foi melhor com comida — já que se fala em acidez gastronómica...

É bastante fácil de encontrar, custando um pouco menos de 20€.

17