sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Bolos de Mel

Desde miúdo que conheço o bolo de mel, mas fazia já algum tempo que não lhe metia o dente. Há dias, encontrei aqui uma receita que me pareceu engraçada. Fez-se, comeu-se, e logo deixou saudades.

Era preciso fazer mais. Para não se estar a repetir, modificámos as proporções de alguns ingredientes. Passado um bocado — e aqui terei de confessar, imerso em vergonha, que foi o tempo de se jantar — estava pronto a comer. Outro retumbante sucesso.

Dos dois, não consigo dizer qual me soube melhor. Ela, essezinha, idem. Ora, julgai vós, então, se assim vos aprouver.


I — O bolo de mel da avó da Paulina M.


9 ovos;
250g de farinha;
250g de açúcar;
1dl de azeite;
1dl de mel;
1 colher (de chá) bem cheia de fermento;
raspas de limão, q.b.

Misture as gemas com o mel, o azeite e as raspas de limão. Bata as claras bem batidas com o açúcar (como para suspiros). Junte tudo, deite a farinha e envolva. Ponha numa forma bem untada e leve a forno esperto.




II — O sucessor que cá lhe arranjámos.


5 ovos;
125g de farinha;
100g de açúcar;
1dl de mel;
½dl de azeite;
2 colheres (de chá) de fermento;
raspas, muito finas, de 1 limão.

Prepara-se da mesma forma que o precedente. Passou à volta de 50min no forno, até começar a dourar e se desprender um pouco das paredes da forma.


Notas:

• Segundo o livro de Raimundo de Oliveira intitulado «Coisas de Minas: A Culinária Dos Velhos Cadernos», ISBN 8598694088, 9788598694085 para quem quiser, ao fogo ou forno dito esperto (ou regular), equivale uma temperatura à volta dos 180ºC.

• Foi utilizado mel de urze-queiró da Malcata. Por acaso, descobri no rótulo que o produtor tem uma página web. fica.

• Tivemos de reduzir a segunda receita para metade porque somos só dois, e só humanos...