terça-feira, 2 de setembro de 2008

Pingo Doce — Alentejo Reserva '2006

Não encontrei muita informação sobre este vinho. Aqui lê-se que «com aromas e sabores quentes de compotas e ameixas, é um vinho ao mesmo tempo elegante e vigoroso». É produzido pela FALUA a partir de uvas Alicante Bouschet, Castelão, Aragonês, Trincadeira e Cabernet Sauvignon. A enologia está a cargo de Mário Andrade.

Cor avermelhada, muito intensa. O aroma não engana: indica logo estarmos perante um vinho alentejano. Generoso e um pouco abafado, mostra os frutos pretos bem maduros do costume — alguns porventura em compota — associados áquilo que só me faz lembrar casca de laranja sobreamadurecida ao sol, mel e melaços e ligeiras notas especiadas. Tudo bem ligado. Na boca, os aromas surgem intensos e bem definidos. É guloso. Sabe muito a fruta madura, por vezes quase a fugir para o doce. Nota-se ainda uma ou outra sugestão ferrosa, talvez ensanguentada. De resto, embora não muito encorpado, revela-se bastante macio, com os 14,5% de álcool a não se tornarem o centro das atenções. Final discreto, mas bom.

Para um vinho de consumo quotidiano, parece-me uma opção decente. Custa 3€ e tal.

14,5