domingo, 28 de setembro de 2008

Três Doces de Abóbora

Elas têm andado a fazer doces. Compotas. Dessas, e como se pode ver na foto,




da esquerda para a direita, de abóbora com canela e laranja, abóbora com baunilha e abóbora com coco.


Fizeram-nas como segue:


Tudo começou com uma daquelas comuns abóboras cor-de-laranja que os americanos do norte gostam de esvaziar para fazerem as tradicionais Jack-o'-lanterns do Dia das Bruxas e que, descascada e sem pevides, pesava cerca de 1,9Kg.

Partiu-se aos bocadinhos, cobriu-se de água e foi ao lume, onde permaneceu até ficar muito mole, quase não restando água na panela. Sem se retirar do lume, esmagou-se com uma espátula (daquelas próprias para fazer puré de batata) e juntou-se-lhe 1Kg de açúcar, que se deixou dissolver antes de se desligar o lume. Então dividiu-se o puré resultante em três porções que voltaram ao lume, cada uma em seu tacho.

A uma delas, 2/5 do volume do puré de abóbora que então se tinha, juntaram-se raspas muito finas de uma laranja, 2 paus de canela e uma colher de chá de canela em pó. Deixou-se engrossar durante 3 ou 4 minutos e enfrascou-se.

A outra, outros 2/5 do volume de puré, juntaram-se duas colheres de chá de essência de baunilha. Tal como a anterior, deixou-se engrossar e enfrascou-se.

E ao restante juntou-se coco ralado seco (75g). Mexeu-se e deixou-se engrossar, o que aconteceu muito rapidamente, talvez em menos de um minuto.

A ideia, dizem elas, surgiu como uma tentativa de aproveitar abóboras bastante grandes sem se ter de estar a fazer grandes quantidades do mesmo doce. Assim, uma abóbora grande não só pode servir de base para vários doces diferentes com um mínimo de trabalho adicional, como ainda parte da sua polpa cozinhada se pode congelar para posterior utilização. Para terminar, refira-se que os doces ficaram todos realmente bons.