terça-feira, 16 de setembro de 2008

Vinha de Mazouco '2005

Este tinto do Douro, que «provém de parcelas distintas situadas na sub-região do Douro Superior», foi feito com uvas de Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca — e mais não dizem — é produzido pela Unicer — empresa que nos traz coisas tão adoráveis como a encantadora água Pedras Salgadas — que seria do café sem ela? — e a eterna Super Bock — digam o que disserem, pelo menos de há uma dúzia de anos para cá, a verdadeira alma de Coimbra.

Não sabia que a Unicer também negociava em vinhos. E tantos! Enfim...


Decantei-o um bocado antes de beber. Mostrou-se límpido, com cor rubi de média intensidade. No aroma, suave, adocicado, predominavam as romãs bem maduras e amoras negras. Lá mais atrás, mato seco, esteva. E no fundo, especiarias e tosta da barrica. Na boca estava macio, de corpo apenas mediano, com os frutos silvestres a surgirem doces e o matagal a completá-los, conferindo-lhe alguma elegância. Pecou pelo final curto.

Custou 4€. Visto que não apresenta nenhuma falta ou defeito ofensivo e que até acaba por ser um duriense dotado de certa tipicidade, para o preço, é definitivamente uma boa opção.

14,5