sábado, 11 de outubro de 2008

Álvaro Castro '2006

E outro Dão de Álvaro Castro.

Cor rubi de boa intensidade. Abri-o sem decantar e encontrei relva cortada, chocolate e bafio. Muito. A fazer a fruta esconder-se. Nada de bom. Tirei um copito, rolhei o resto e deixei-o passar a noite no frigorífico.

No dia seguinte, parecia outro vinho. A fruta mostrou-se farta, sumarenta, deliciosa, no ponto ideal de maturação. E o chocolate continuava lá, abrindo caminho para algumas notas de tosta de barrica, perfeitas para completar o conjunto. Bastante denso na boca, com acidez vincada e bons taninos, cheios de presença. O final, mais que decente para um vinho desta gama.

Uma boa surpresa... após basto arejamento.

Custou pouco mais de 6€.

15,5