quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Sopa...

Esta sopa tanto pode ser comida antes do prato principal como, até, sê-lo. Tal como a maioria das sopas, é muito fácil de fazer e tem a vantagem de possuir uma parte animal que garante a sua aceitação entre os comedores de carne inveterados. Aqueles que, como eu, tendem a torcer o nariz às sopas puramente vegetais...




Faz-se assim:

1. Abrir e escorrer uma lata grande — daquelas com 800g de peso líquido — de grão-de-bico. Reservar. Cortar 275g de linguiça em pedaços grandes. Reservar.

2. Descascar 2 cebolas grandes e cortá-las aos cubos para dentro da panela onde se vai fazer a sopa. Juntar azeite — não muito — e levar a lume forte.

3. Quando o azeite começar a ferver, adicionar a linguiça. Deixar refogar durante 5 minutos.

4. Juntar ao refogado 2ℓ de água, uma pitada de sal e metade do grão escorrido. Com a escumadeira — ou o que mais puder servir para o efeito — retirar a linguiça para dentro de um recipiente à parte e reservar. Deixar ferver a sopa durante 20 ou 25 minutos, até a cebola e o grão se notarem cozidos, sempre de panela destapada.

5. Passar um pouco a sopa com a varinha mágica.

6. Juntar o resto do grão, a linguiça que se tinha posto de parte e 500g de couve coração-de-boi (é uma espécie de repolho). Deixar cozer até a couve estar bem mole — à volta de 10 minutos, no nosso caso.

7. Servir. Depois de servido, gosto de juntar ainda mais um bocadinho de azeite ao «prato», como se pode ver na foto. Eu gosto assim!


P.S. — Parece que há quem ache estranhas estas aventuras de menino & menina à solta na cozinha, ainda por cima sendo nós novinhos, sem putos e cheios de alternativas. Pois bem: fazemo-lo porque gostamos. A meu ver, este tipo de cooperação entre duas pessoas que estão juntas só tem vantagens... e não deixa de ser bonito de se ver.