sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Dom Rafael '2006

É o segundo vinho da Herdade do Mouchão.

O nome foi-lhe dado em jeito de tributo a Rafael Reynolds, irmão do senhor que comprou a propriedade no final do século XIX.

Vinificado a partir de Trincadeira, Aragonês e um pouco de Alicante Bouschet, estagiou durante 6 meses em tonéis e outro tanto em garrafa antes de ser posto à venda.

Encontrei-o jovem e cheio de vigor. Demasiado ácido quando aberto, estava muito mais dócil e expressivo depois de pernoitar no frigorífico.

Da prova propriamente dita, posso afirmar que se trata de um vinho intenso, até na cor. Aroma vivaz a algo como ameixas pretas e cerejas muito maduras, algumas até em compota, bem entrelaçadas com bastante madeira.

Na boca, sabores fortes, na linha do que o nariz mostra. Estrutura robusta, com muitos taninos que aparentam ainda não ter amaciado de todo. Acidez vincada. Um pouco alcoolizado. Final mais vivo que longo.

Vinho bem feito, consistente, mas um pouco rústico — pelo menos para o meu gosto.

Custou 6,85€.

15