quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Herdade da Figueirinha — Reserva '2005

Outro vinho de menos de 4€ (de facto, menos de 3, se a memória não me atraiçoa) que bebi recentemente foi este alentejano da zona de Beja, da Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha. Diz o contra-rótulo que foi produzido a partir das castas Trincadeira, Aragonês, Alicante Bouschet, Alfrocheiro e Cabernet Sauvignon. Quanto ao estágio, não dizem nada, nem na garrafa nem na página do produtor, mas é certo que o teve.

Cor rubi, não muito concentrada. Aroma franco, directo, com muita fruta vermelha pouco madura e elementos vegetais verdes, frescos e indefinidos, a fazerem lembrar salsa. Mostrou ainda evidentes notas de laranja amarga e chocolate preto. Corpo ligeiro, com a acidez, talvez no limite, a ajudar a integrar os 13,5% de álcool. Mais fruta verde. Mais verde vegetal. Estranhas sugestões animais, a fazerem lembrar porco estufado em vinha d'alhos. Final curto.

É um vinhito ligeiro, sem grandes pontos de interesse. Não está mal para o preço, mas ainda mais longe de impressionar.

14