sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Cimarosa — Carménère, "Gran Reserva" '2005

Acerca da região de origem: Valle del Rapel, uma das quatro sub-regiões do (enorme) Valle Central chileno. Situa-se entre Rancágua e San Fernando, subdivide-se em outros dois vales — Cachapoal e Colchagua — e deve o nome ao rio que por lá passa. É neste que se situa o principal lago artificial do Chile, reservatório com 695M m³ de uma barragem hidroeléctrica construída nos anos 60.

Acerca da casta: Carménère, uva tinta originária da região de Bordéus, foi uma das castas «mais amplamente cultivadas em inícios do século XIX no Médoc e Graves», tendo sido dizimada pela filoxera na década de 1860. «Julgada extinta, foi redescoberta em 1994» no Chile, para onde terá sido levada por engano, tendo-se tornado uma das castas vínicas mais populares do país, que é, actualmente, o seu maior produtor mundial.

O rótulo revela-se mudo no que toca à elaboração do vinho — de concreto, apenas diz que foi engarrafado pelo Via Wine Group.

Uma muito breve nota de prova:

Cor rubi de intensidade moderada. Carácter marcadamente vegetal, com muitas notas de ervas e legumes verdes a tirarem a evidência à fruta negra que surge suculenta no nariz. Na boca, no que toca a sabores, idem. De resto, pareceu-me equilibrado, de corpo mediano, bastante aveludado e com boa integração alcoólica. Final relativamente curto.

Embora simples, não me pareceu mal feito. Gosto deste tipo de vinho. Se tivesse só um bocadinho mais de densidade de aroma e sabor, tê-lo-ia adorado. Assim...

Achei-o algo parecido com este.

Foi comprado no LIDL por 4€.

14,5