quinta-feira, 5 de março de 2009

Quinta do Castelinho — Porto Reserva

E só mais um, para terminar... Que também por aqui andou uma garrafa de Madeira Meio Seco do Pingo Doce — engarrafado por J. Faria & Filhos, Lda. — tão pobrezinho e ao mesmo tempo tão enjoativo, pouco ácido e tão flat como esta senhora, coitadinho, que... que acho não valer a pena dizer mais sobre ele. Adiante!

Este tawny da Quinta do Castelinho, blend de vinhos «com cerca de 7 anos de idade média» obtidos a partir de uvas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Touriga Franca e estagiados em cascos de carvalho, foi, destes todos, o que mais loirinho achei no copo.

Aroma a incidir, acima de tudo, nos frutos secos do costume, bem ligados com sugestões subtis de passas e café, também em licor. Corpo aceitável; discreta a acidez — não tanto a calidez alcoólica que deixa na boca. Mas bastante saboroso.

Foi uma maravilha a empurrar umas broinhas de frutos secos que fizemos no outro dia. Já aí deixo a receita, dê-me Deus não ter puto que fazer suficiente para tal. 11€. 15


P.S.

A S. descobriu montes de jogos novos para a DS, o tasco daqui de cima sempre a mesma merda, o Café Com Arte tem andado a saber tanto a oco, os ratinhos lá têm as vidas deles e a net tem andado uma seca... Poh, vida de cão! :\