segunda-feira, 6 de abril de 2009

Cartuxa '2003

Bebi este no «Cozinha Vecchia», a acompanhar um belo polvo assado com espigos de couve — os outros são amargos; não gosto. Lote de Trincadeira, Moreto, Alfrocheiro, Aragonês e Castelão. Veio daqui. Cor granada. Bafiento no início, revelou depois fruta madura e em licor. Também notas de café, tabaco e cabedal. E, um pouco por toda a parte, na conta mais que certa, suor animal, esse defeito que já foi qualidade — até se saber ser uma das assinaturas da levedura «selvagem» Brettanomyces, que pode significar falta de higiene na adega e, em excesso — como quase todos os excessos — é bem capaz de tornar o vinho imbebível (incheirável) . . . De qualquer forma, e dada a guerra que lhe têm movido em nome de aromas mais limpos e frutados, já a não via há muito, e que saudades! Voltando à bebida, boca mediana em porte e persistência, dotada de excelente acidez — não só a transmitir boas ideias de frescura como a conseguir sugerir uma muito subtil mas interessante adstringência. Taninoso?, nem pensar. Custou 23€, se não me engano.

16,5