domingo, 24 de maio de 2009

Casa de Saima — Reserva '2004

Este vem de Sangalhos. Varietal Baga, estagiou 12 meses em grandes tonéis, quase centenários, de madeira avinhada.

Retinto e muito intenso, com acidez, flores e groselha negra madura em quadro típico da Baga. Névoa balsâmica, bafo alcoólico. Madeira? Cominhos? Alguma austeridade na boca. Encorpada, de acidez pronunciada. No limiar do agressivo. Taninos um pouco secos. Final decente, a deixar certo picor na garganta.

Primeiro, enfrentou com garbo um vigoroso cozido. Depois, não sei se foi a ligação com um par de unidades de Lexotan que finalmente bateu, se o prazer crescente que me foi proporcionando ao longo do jantar explodiu naquele instante, mas o facto é que me ofereceu um maravilhoso momento de apatia extasiada — cabeça a mil à hora... o resto sem ponta de vida, excepto talvez o smile — à medida que me ia embalando, com doçura afundando nos belos acordes que acompanham o clímax (quase) final de Buffalo '66.

Destacadamente gastronómico e com alguns anos em garrafa pela frente, falta-lhe a complexidade de um Bairrada de topo, mas isso não invalida que seja dos melhores vinhos disponíveis na faixa de preços em que se insere. 6€.

16