sábado, 25 de julho de 2009

Adega de Pegões — Cabernet Sauvignon '2006

«Localizada em Pegões velhos, sul de Portugal, a cooperativa agrícola de Santo Isidro de Pegões, produz e engarrafa vinhos de qualidade desde 1958 data da sua fundação. Elaborado com base na casta Cabernet Sauvignon, produzida por vinhas perfeitamente identificadas em solos arenosos, as uvas são colhidas em miados de Setembro, quando a maturação fenólica é atingida.
Vinificado em cubas-lagar de Inox com maceração pelicular prolongada, seguido de estágio de 6 meses em meias pipas de carvalho, resultou um vinho denso, macio, aveludado, com aromas típicos da casta, que se pode consumir desde já ou guardar por mais alguns anos.
Acompanha bem pratos de carne, queijos e pratos de peixe bem cozinhados.»

Diz o rótulo, que é bonito e está recheado de informação interessante... e até podia ser porreiro, bastava uma ligeira revisão. Nada de profundo... maiúsculas/minúsculas, pontuação e o miau (minhau, meow, meao) do gato.

A versão em inglês também tem que se lhe diga, mas (curiosamente?) menos. Lá irei, se me lembrar, quando chegar a hora de introduzir mais algum vinho da casa e não me ocorrer nada mais... útil (talvez, e cenas, ou isso).

Basicamente, caro leitor, estive a dar-lhe «palha».

Perdão... perdão. . . e sem mais delongas, falemos do sumo:

Intenso, ainda pejado de sinais de juventude, mostrou cor rubi carregado, frutos negros maduros e notas vegetais aciduladas — beringela, rama de tomateiro — temperadas por especiarias (indefinidas) e ligeiras sugestões tostadas. Corpo mediano, suficiente para envolver os taninos (maduros q.b.); acidez vincada; álcool decentemente integrado. Bom final. Dos muitos varietais do produtor que por aqui têm sido consumidos, foi (talvez) o que até à data encontrei mais potente. 6€. 15,5