sexta-feira, 3 de julho de 2009

Cortes de Cima — Syrah '2004 e '2005

Syrah '2004

Há quase um ano que não tocava neste vinho de Cortes de Cima, embora me tenha agradado bastante quando o provei pela primeira vez. Ora, pouco terá evoluído desde então. Tanto a casta como o estilo do produtor se continuam a exibir com pureza. Frutos negros, pimentas, barrica perfeitamente integrada... Cor carregada e corpo denso e guloso, de taninos completamente cobertos, acidez bem colocada, fundamental para impedir o conjunto de se tornar enjoativo, álcool pronunciado e final longo. Sem surpresa, não evidencia ainda qualquer sinal de cansaço.

17


Syrah '2005

Aroma intenso, opulento, com ameixa negra e ginja levemente especiadas e bastantes notas de fumo e tosta. Com a evolução, despontaram notas de chocolate. Também a boca se revelou no estilo do da colheita anterior, embora menos carnuda, menos gulosa, com a madeira a sobressair um pouco mais — e aqui pouco é um pouco demais — O que não se tratará apenas de uma questão de idade. Final apenas razoável. Não deixando de ser um vinho porreiro, falta-lhe a envolvência do maninho mais velho. 12€.

16