quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Vallegre — Ceremony LBV '2002. . . e cenas

Este é mais um post simples&chato, daqueles que não revelam grande virtuosismo ou conhecimento d'whatdafuckisgoinon no inefável (sacrossanto) mundinho da bu-bida.

Assim, simplória mas honesta, sem pedantices ou tentativas de aviso à navegação — cá pra mim, malignidade de raquítico, daquela que o grande Nietzsche apontava a Sócrates. . . apontar o que quer que seja a Sócrates é mesmo coisa de esquizofrénico. . . ai, sobre esquizos &mahlifewit'dem podia eu fazer uma pequena bíblia (ou umas wallet cards... a escolha seria mais questão de gosto que de conveniência) — aí fica a minha impressão pessoal acerca de mais um pequeno filho de deus, daqueles que vêem a luz da vida através do vidro escuro de uma garrafa, abatido recentemente no cumprimento do dever.

As a sidenote,

a S. está a ver Skins. Aliás, a S. quer que a deixe ver Skins,

que é uma série muito bonita, digo, acontecem coisas bonitas a criancinhas apelativas — e se aqui leu fodíveis, tente visitar o seu shrink le plus vite possible — ah!, Skins tem o seu quê de frescura e imprevisibilidade... Não se parece mesmo nada com a merda que a MTV nos tenta usualmente impingir! Olhem, aí fica uma foto do Sid. Porque o Sid é do Skins e eu acho-lhe piada.


Oooooooh sim!!! Assim é que deve ser.

A sério, se vocês soubessem até que ponto este moço se parece aqui com o velho geeky Joe... quando o velho geeky Joe era novo... ai ai.

Ora, recentemente, este Porto, dizia, recentemente mas não tanto assim. Que depois dele já cá houve outro, aliás. Como isto anda!

A verdade é que nada do que para aqui estou a escrever foi planeado. Estava a fumar na varanda quando me ocorreu fazer o post desta maneira. Mas nem a meio do cigarro ia quando me deu o click, e muito se perdeu entretanto em pormenores, auto-referências sobre pormenores.

E por mais que tenha tentado manter o foco naquilo que realmente importa, como mandam as regras do bom viver, é-me agora evidente que isto não está a soar como pretendido.

Pudera eu fumar dentro de casa, teria vindo a correr. E o post teria saído melhor. Ou menos mau. Ou não, quem sabe?!

Mas agora fica assim. Não interessa.

Akoholdriven posta, hopeyallenjoyit. Mas sobre o vinho que a trouxe a cavalo, por este andar, só aqui deverá aparecer algo nas próximas duas semanas.

É o que dá um gajo ter abandonado o formato combo sem, no entanto, ter reduzido.

AH, QUEREM VER UMA FOTO DA CASS?! Não, não... É quase certo que não. Os meus queridos e bem-amados leitores são — por norma, i.e. salvo fãs, aberrações patológicas e googleadores caídos de pára-quedas — gente demasiado séria para ligar a fotos da Cass. . . Realeza!, ou (na pior das hipóteses) LAs mais empenhadas em catar ideias novas para o jantar de amanhã que em olhar para gajas mais giras que elas próprias.

Elas próprias, as mesmas — como diria (sem querer, evidentemente) um dos meus mais queridos fellahbloggahs du vin. Mas a esse não meto aqui — aqui! — link, que nós, bloggers, nós mesmos (os próprios) devemos agir como uma comunidade de amigos com interesses comuns — e não falo, não posso estar a falar, naturalmente, da booze, oh que falta de sensibilidade, de civilidade, de cabeça!, oh que heresia! — ou um dia destes que finalmente aceite participar em algum enoevento. . . digamos, uma prova de vintages. . . na boa (tru lu lu) . . . ainda acabo xinado, com x, atrás de uma caixa de electricidade. . . num beco escuro. . . os vidros e os ratos. . . e cocós de. . . <ahem!> . . . cidadãos com os mesmos direitos que eu, embora muito muito muito mais amigos dos opiáceos que eu, eu mesmo, (o próprio). . . oh oh.

MAS não faz mal! Eu não me importo! :) E vou mesmo colar aqui uma foto da Cass. (Porque a Cass é do Skins e eu acho-lhe piada.) Aí vai:




Pronto, pronto... a parte mais difícil já está.

Tem uns dentes do caralho, bem sei.

Mas também isso deve ser perdoável.

Pelo menos por si...

(Wouldn't you?)

E

afinal

também não custou assim tanto, ritee'?


Enomisguitos, não vos faço esperar mais! A fermosa botelha sem a qual não haveria post, à esquerda.

Trata-se, enfim, de um LBV produzido pela Vallegre. Sobre o qual pouco mais consegui apurar para lá do que vinha escrito no rótulo. Ah, parece que o deixaram envelhecer durante 4 anos dentro de cascos de carvalho.

(Oh, a surpresa!)

Rubi intenso, este vinho de corpo mediano trouxe consigo generosos sabores e aromas de frutos negros, passas e especiarias (pimentas?), bem como um certo quê tostado muito bem proporcionado que tornou a sua passagem pela boca um pouco mais interessante que aquilo que as impressões olfactivas, só por si, me haviam feito esperar.

Claro que notei faltar-lhe complexidade e persistência. Ademais, podia (e devia) ser um pouco menos taninoso. E assim, a conclusão tem de ser algo chato, ou pelo menos nada surpreendente, como. . . embora 2002 não tenha sido um bom ano e este vinho o reflicta, não me lembro de alguma vez ter bebido um LBV que pudesse considerar mau. Ou, até, apenas mediano. E este, como todos os LBV mauzinhos que por aqui têm passado, é um Porto bonzinho, prontinho a beber e capaz de dar prazer a qualquer um.

Weee...

Ah, e topem esta: considerando que custou 9€ numa promoção do Jumbo, só posso ficar contente com a negociata.

Quanto ao numerozinho, que há quem ache que sem ele a posta perde o (seu pouco, *-íssimo) valor,

15



P.S.

A quem tiver topado o critério da italização, um presente surpresa!

A quem tiver topado de que forma esta pikuína posta expõe um mui' estúpido bug (ou para os bem intencionados, ausência de feature) do bloggah, um beijinho.

(Benesses não acumuláveis, embora intercambiáveis.)

Agora vou fazer ó ó,

(outro dos meus queridos e bem amados fellahbloggahs fez certa madrugada um post do ó ó, sem dúvida a coisa mais engraçada em que até hoje calhei tropeçar nesta nossa grumosa blogofeira, mas infelizmente apagou-o na tarde seguinte — Flair is dead! Who killed flair?)

mas aguardo!