quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Evel — Grande Escolha '2000

Ahm, mais uma edição do topo de gama da Real Companhia Velha... no que aos tintos secos toca. Foi vinificado a partir de Touriga Nacional e Francesa, Tinta Roriz e Tinto Cão. Ademais, consta que estagiou em cascos de carvalho francês... «com elevada percentagem de madeira nova» durante 18 meses.

Vermelho granada escuro. Apesar de o ter decantado duas horas antes de servir, ainda o encontrei um tanto ou quanto preso aquando do início da prova. Depois veio a fruta, silvestre e negra, intensa, apimentada ao de leve e parcialmente confeitada. Qual espinha dorsal deste vinho, dela se iam libertando os (não muitos) aromas terciários que lhe consegui perceber: terra molhada e cogumelos, folhas mortas, castanhas e tabaco (charuto).

Mostrou-se amplo na boca, fino e dotado de boa acidez; os taninos ainda facilmente perceptíveis, apesar de muito macios, prolongando-se por um final longo q.b. e bastante saboroso. Com o ar, evoluiu para tabaco e cabedal. Morto ao segundo dia. Este Douro envelheceu bem. Envelheceu: duvido que valha a pena guardá-lo por mais tempo.

Custou 20€.

17,5