segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Bétula '2008

Foi com este vinho que perdi a virgindade no que toca a receber amostras de produtores.

Trata-se de um lote em partes iguais de Viognier e Sauvignon Blanc. O primeiro fermentado em barricas de carvalho francês, o segundo em inox. O autor, Francisco Montenegro (Aneto). Fizeram-se 3000 garrafas.

Cor de casca de limão.

Cítrico e herbáceo no ataque de nariz, com toque de flores silvestres. Depois surgiram notas de pêra e pêssego, mais a compor que a dominar. Isto sobre um fundo que fazia lembrar algo como banana seca misturada com figo melado: coisa de discrição inquestionável, mas que de certa forma me pareceu "ligar" o conjunto. Simples, um tanto austero, e deveras interessante.

Ainda melhor na boca, intensamente fresco e persistente, de sabor suave, sem ponta de doçura. O álcool apareceu muito bem integrado; a madeira, pelo menos para já, nem tanto.

Resumindo, trata-se de um belo branco... aromático, amigo da mesa (pelo menos das gambas agridoces a que fez companhia) e já bastante coeso, embora ainda se esteja a fazer — dê-se-lhe garrafa. Ainda bem que passei a fazer parte do clube dos vendidos com um vinho assim, fixe, e ainda por cima ao meu gosto...

Segundo o produtor, o PVP deverá andar entre os 12 e os 14€.

17