domingo, 28 de fevereiro de 2010

Conceito '2006

Já farto? Há tempo, há vinho, e no entanto como que me tive de obrigar a tirar um bocadinho desta pouco airosa manhã para vir aqui escrever isto. Gosto de olhar pela janela, ver as mimosas lá atrás. Emprestam cor até aos dias mais cinzentos. E basta não olhar para cima quando saio para prolongar um bocadinho a ilusão. Muitas vezes, um bocadinho chega. E um dia... Ai um dia! Se perguntarem por mim, sei lá, digam que voei.

Mas enquanto sim e não, mais do mesmo, glu glu... Oh, que mais vos hei-de dizer?

Falar-vos-ei então de um Duriense de V.N. de Foz Côa. Segundo a página web do produtor, proveniente de vinhas com cerca de cinquenta anos, plantadas em terreno xistoso e compostas por mais de 15 castas tradicionais da região. E que terá estagiado durante 20 meses em barricas de carvalho francês, metade das quais novas. No fim, dele se encheram 5000 garrafas.

Violáceo, escuro. Cresce na boca, termina longo e limpo. A fruta delicada, silvestre, talvez azul, talvez roxa, a barrica fina e perfeitamente integrada, a maciez quase cremosa, as doses certas de firmeza e frescor... tudo marcas de um excelente vinho, por sinal fácil de entender, fácil de considerar cheiroso e gostoso, mas de grandeza nem sempre prontamente perceptível, provavelmente porque advinda da enorme elegância que reside (precisamente, lol) na sua enganadora circunspecção.

25€.

17,5