segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Quinta das Camélias — Touriga Nacional '2007

A Quinta das Camélias é uma propriedade localizada em Sabugosa — Tondela. Encontrava-se numa situação de semi-abandono quando, em 2002, foi adquirida por Jaime de Almeida Barros. Efectuadas as renovações necessárias, a primeira colheita fez-se em 2005. No encepamento predomina a Touriga Nacional, existindo também Alfrocheiro, Tinta Roriz e Jaen.

Tem um blog — que infelizmente aparenta estar abandonado há muito.

Conheci os seus vinhos na última feira de vinhos do Jumbo, onde o produtor se encontrava a promovê-los. O básico da casa, de seu nome Cabeço do Mocho, mistura de Touriga Nacional e Jaen, não me impressionou. Talvez também por causa das fracas condições de prova, mas achei-o pobre, curto e desconexo. Fraco. Não comprei.

Provado aquando do outro, este, de gama superior, apesar de quase três vezes mais caro, consegiu mostrar-se interessante, pelo que acabei por trazer alguns exemplares comigo. Em jeito de introdução à prova, trata-se de um monocasta Touriga Nacional feito a partir de uvas cultivadas em regime de Protecção Integrada e parcialmente estagiado em barricas novas de carvalho francês — falaram-me de Seguin Moreau — e americano.

De cor é jovem, com anel violeta. Escuro, não retinto.

No nariz, Touriga fresca, com bom equilíbrio entre flores e frutos. Bagas silvestres e violetas, chá verde e bergamota... E madeira, bastante, a revelar-se sob as mais diversas formas — tosta, baunilha e coco — impositiva caso não se proporcione ao vinho o devido arejamento.

Boca vigorosa, de volume mediano e sabor agradável, embora ainda demasiado marcado pela madeira. A acidez surge vincada em relação ao corpo, embora nem por um momento a tenha conseguido considerar objectivamente excessiva, e os taninos mostram-se com garra, tensos, um pouco secos no final.

Bom vinho, intenso e gastronómico, a prometer boa evolução em garrafa. Acompanhou com garbo um delicioso prato de lombo de porco assado com molho de natas.

Custou 8€.

15,5