terça-feira, 4 de maio de 2010

J. L. Chave Sélection — Mon Coeur '2007

Lote de Grenache e Syrah, este Côtes du Rhône nasceu de uma parceria entre Jean Louis Chave, mais conhecido pelos afamados Hermitage da sua família, e Eddie Gelsman.

Muito resumidamente, a ideia por detrás do projecto terá sido a seguinte: antes de tudo o mais, encontrar pequenos produtores na (vasta) região (do Ródano) que cultivassem e vinificassem segundo certos princípios orientadores, afins aos que o próprio J. L. Chave aplica na produção dos seus vinhos: agricultura orgânica, baixas produções e, mais que apenas respeito, enfoque na tipicidade regional. . .

Depois, localizados esses domaines — e foram quatro: em Visan, Buisson, Vinsobres e Estézargues — tratar de negociar acordos com os seus proprietários, de forma a poder acompanhar a maturação das uvas e produção dos respectivos vinhos, comprá-los, estagiá-los nas suas caves de Mauves, loteá-los (os Chave são conhecidos pela finura com que loteiam) e, por fim, vendê-los como J. L. Chave "Sélection".

Daqui se percebe facilmente que, sendo este Mon Coeur um vinho "de négociant" na mais estrita acepção do termo, é também um vinho que se quer típico e bom; acima de tudo, que seja capaz de reflectir a terra que lhe deu origem.

Que lengalenga, hein?

O vinho foi arejado (para aí) duas horas antes de servido, mais ou menos a 16ºC. Violáceo no copo, trouxe consigo aromas que faziam lembrar amora preta e cereja, fruta limpa e doce, de concentração suficiente, mas nem um pouco mais que isso. . . azeitona preta, a ponta de acidez. . . ligeira especiaria, indefinida, os apimentados quentes e acres, tão característicos dos vinhos do Norte do Ródano, talvez com notas de cravo à mistura, talvez de mato seco. . . e, claro, o toque carnoso típico do Syrah plantado em zona fria. Verde, neste, não vi.

Na boca, o prolongamento natural da prova de nariz, sem surpresas. Corpo mediano, com bom peso e textura, consistente na fruta, fresco, fino, muito agradável, a deixar a ideia de ainda poder vir a melhorar na garrafa, embora um tanto ou quanto curto. No todo, pareceu-me um vinho típico e completo, embora longe de impressionante.

10€.

17