quarta-feira, 23 de junho de 2010

Velharias (23)

Cinquenta horas sem dormir!

Há tempos, aquando das últimas eleições legislativas, ouvi um primo meu dizer que mais valia levarmos com um ferro nos cornos do que com um durão pelo cu acima.

O tempo passou. Mal ou bem, alguma coisa aconteceu.


$


Evolução fractal autosemelhante: olhos de ónix na semiobscuridade. Os halogéneos dissolvem a noite num clarão impossível.

Love is forever in an instant.

Sim, disse-lhe que a amava. Mas isso pouco importa.

A Falta pode manifestar-se das mais variadas maneiras. Pode ser um aposento às escuras, um disco de Bob Dylan a tocar quase baixinho, uma janela aberta, uma garrafa de Canadian Club gelado — um pratinho com comprimidos. Meds. Efexor-XR 75. Venlafaxina, um antidepressivo SRNI. Serotonin-norepinephrine reuptake inhibitor. Obrigado, AA. Risperdal. 3mg. Risperidone. Amarelinhos, gordinhos, miam. . . Antipsicóticos: para mim uma birra, para o meu pobre Irmão M', uma necessidade — 'tadinho. Duas unidades. Ah! Os meus Valium, 10mg. . . Os MEUS ansiolíticos, conquistados PELA MINHA PESSOA às garras de um terrível Professor de Coimbra, shrink filho da puta, a recusar-se a drogar um gajo só por já ser drogado, lol, azulitos, tão lindos. Alguns, um punhado pequenino, que estes são bons de obter. E depois, gelo. Canadian Club. Drunf. Gelo. Canadian Club. Canadian Club. Drunf. Gelo. (Os drunfs pedem gelo — juro.) E, que consolo! A entidade parental e o meu maninho dormem, talvez profundamente, não muito longe. . . A Falta Permanente é a única que realmente dói, mas pode ser mitigada com qualquer outra Falta, mais terrena, mais fácil de satisfazer. Adição. Substantivo feminino, singular. Acto de adir. Juntar. Agregar. Possuir. . . uma herança.

Estou em paz.

Por uns minutos.

Em breve, o ronronar irritante de um automóvel a diesel que se aproxima, cada vez mais devagar. Pára diante de mim. Estaciona rente ao passeio, do meu lado. Não abandono a janela, mas interrompo o ritual. Surge um rapaz vestido de branco. E negro. Sacudo o meu John Player Very Special, 2xAA Class cigarettes rolled in my own fashion. Pure double King Size: a raw aggression to the brain. Holly cow! Não posso escusar-me a sorrir. . . Filme. . . São tantos os que me castigam. . . S', um sonho lindo à espera de acabar. M', a ansiedade incontida que não sabe como me dizer que realmente precisa de mim. Dylan: é dele o álbum mais triste da história do Rock. E também um dos mais belos, the one that comes see you when teardrops fall. . . Repetindo-se há horas. Randomly. Repetição: permanência: o que nunca me abandonou. Eu. Tantos os que me massacram. Tudo vai e vem, até que seja eu a ir. Porventura sem querer. Mas estou muito bem!. . . Em silêncio. . . O rapaz olha-me de frente.

Sem querer, desfaço-me num sorriso dengoso. Doce. Doce. . . O rapaz demora-se em mim, a sua expressão suaviza-se.

Na casa em frente, uma luz acesa que só eu posso ver.

Segundos. . . Toca um telefone celular. O dele. Nem sequer atende. Vira-se. Começa a atravessar. Olha ainda uma vez para trás, para mim. Dou mais uma passa. Outro gole. . . Um portão automático vai-se abrindo lentamente, do outro lado da rua. Ele acelera o passo.


Jun'2004


E enquanto pego (d)os últimos despojos da disquete maldita dos rascunhos mal paridos, e aqui publico, recordo-me de duas coisas de importância não negligenciável: o coiso de chocolate escuro, húmido, coeso, que agora estou a comer, muffin?, não deve ser, não quero dizer asneira, mas o nome em questão também é uma só palavra e inglesa, enfim, que se lixe, o coiso é bom e acontece muitas vezes: pois bem, foi a S' que fez, é a S' que faz sempre. Vitória, heh. Encaixa esta, mundo. E a outra coisa de importância não negligenciável, mas que por acaso é capaz de não ser assim tão importante, pelo menos agora que já passaram muitos anos e nunca mais vi o R', é que, na verdade, nunca mais voltei à casa da irmã dele porque a moça, militar, casada com outro militar, imaginem só como se havia de sentir o Bear Grylls ali, topou, não muito depois de isto ter sido escrito, que lhe andávamos a mijar pela varanda abaixo — e não gostou.

Ah, o coiso húmido de chocolate chama-se brownie. Porque não browny? Para se distinguir de uma coisa qualquer que tenha acastanhado, como em the flat chocolate cake usually named brownie spent too much time in the oven, thus got a little browny, say, somewhat browned, on the sides? Cheguei a pensar em colar aqui os tags "coisas do mundo", "comida", "bolos", "chocolate" — mas, por Deus, não.