quinta-feira, 15 de julho de 2010

Conserva de Limão

Dizem-na marroquina.


1. Escolhem-se os limões. De boa fonte, sem pesticidas.

2. Que se escovam; depois secam-se. Remove-se também qualquer eventual vestígio do caule.

3. Aplica-se a cada limão um par de cortes no sentido do comprimento, profundos, intersectados mais ou menos a meio do seu corpo, sempre sem seccionar as partes que definem.

4. Através desses cortes, recheiam-se com uma quantidade generosa de sal grosso: uma colher de sopa por fruto, aproximadamente.

5. Colocam-se num frasco alto. Embora não o tenha feito desta vez, o facto é que se podem temperar com sementes de coentro, louro, malagueta seca, canela em pau. . .

6. E pressionam-se para fazer o sumo sair. Fecha-se o frasco, deixa-se descansar tudo até ao dia seguinte.

7. Altura em que se voltam a pressionar, extraindo mais sumo. Procedimento que se repete nos dois ou três dias seguintes, até os limões estarem completamente cobertos de líquido. Caso não sejam sumarentos o suficiente, vai-se-lhes juntando sumo de limão espremido de fresco.

8. Após mais ou menos um mês, quando moles, os limões estão prontos a usar. A partir desta altura, será boa ideia conservá-los nos frigorífico, onde é natural que se aguentem sem qualquer constrangimento durante mais de meio ano.

9. Antes de usar, enxagua-se cada unidade, de modo a remover o excesso de sal, e corta-se em porções pequenas, fatias finas ou cubos miúdos, por exemplo.


Aplicações, depois.