quarta-feira, 7 de julho de 2010

Egoísta '2005

Mais um da Herdade do Meio (Portel). O rótulo, bonito, refere ter sido elaborado a partir de Trincadeira, Aragonês, Syrah e Alicante Bouschet, não adiantando o que quer que seja quanto ao processo de vinificação ou estágio.

De cor rubi, escura, é um vinho bastante intenso, dirigido para a fruta, negra, muito madura e em compota, com algumas notas, algo vagas, de especiarias e marmelada. Na boca, quase macia, mediana em volume e persistência, de sabor concordante com o nariz, sobressai relativa calidez que, apesar de tudo, não incomoda.

Mais simples que os outros exemplares da casa já aqui provados, não deixa de ser um vinho bastante razoável, perfeitamente capaz de dar prazer, sobretudo com comida.

4€.

14,5