domingo, 1 de agosto de 2010

Pingo Doce — Dão Reserva '2007

Tinta Roriz, Alfrocheiro e Touriga Nacional, engarrafado pela Dão Sul.

Enólogo de nome sonante em garrafa de marca branca faz-me lembrar aquela rubrica do Top Gear, Star in a Reasonably Priced Car — e haverá quem não goste? Uns escoam os excedentes, outros apresentam um produto exclusivo a um preço competitivo. No fim, todos ficam a ganhar, até o consumidor, o que é raro e muito louvável, dada a forma como este mundo anda.

Simples, suave, limpo e preciso. Floral generoso, boa fruta e alguma barrica, a suficiente, com bons indícios da presença de carvalho americano: baunilha e coco por entre fumados. Tem algum corpo, suficiente para harmonizar a acidez e álcool que integra, e sabor franco, vagamente mineral. Parece-se bastante com o seu antecessor (da colheita de 2004), pese a diferença de idades: dêem-se-lhe mais dois anos.

Infelizmente, o rótulo não faz justiça ao produto. Sugere coisa barata, sem grande jeito, pelo menos a mim.

3,50€.

15,5