domingo, 29 de agosto de 2010

Quinta do Crasto — Reserva "Vinhas Velhas" '2005

Provém de típicas vinhas velhas durienses, compostas por várias castas misturadas, dizem que à volta de 35!, plantadas em socalcos. Após desengaçe total e ligeiro esmagamento, o mosto fermentou em cubas de aço inox, a temperatura controlada, tendo o vinho resultante estagiado durante 18 meses em carvalho francês (85%) e americano — dados retirados da ficha técnica. Em 2008, ficou em terceiro lugar do Top 100 anual da Wine Spectator, e por isso foi notícia.

Denso, mas não mastigável. Começou um tanto mudo, a pedir ar. Depois foi-se abrindo em notas bem maduras de frutos negros levemente fumados, chocolate amargo, sangue e lagar de azeite, folha de tabaco, alcatrão e café. Complexidade decente, evolução interessante. Firme e austero na passagem pela boca, sem ponta de doce, a evocar cacau apimentado, conseguiu deixar aquela sensação de robustez terrosa que tira a um gajo qualquer dúvida em como estará vivo e bom daqui a dez anos. Ténue quentura alcoólica: vinho de Inverno. Coeso, longo e equilibrado q.b. — tem tudo para poder vir a ser exemplar, mas aparenta ainda não estar no ponto. E daí, será que...? Heh.

25€.

17