sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Encostas do Tua '2007

Se a memória (abusado eufemismo de ignorância) não me atraiçoa, o mais proletário dos vinhos Vale da Corça.

Lote tipicamente duriense, foi feito com Tourigas Nacional e Franca e Tintas Roriz e Barroca. Tantos "e". Estagiou 10 meses em barricas de carvalho francês.

Rubi. Fácil, guloso, de traços apelativos. Focado na fruta, cresceu com o arejamento: a dada altura, fez lembrar caça, sangue e Moca. Mocha!, bom café iemenita: não um cacete, que se presume sempre inodoro, menos ainda aquilo que alegadamente se apanha ao fumar haxixe. Firme na boca, mostrou boa acidez e corpo suficiente para a envolver. Equilibrado, porque não? De notar ainda o sabor francamente agradável, mais sóbrio que o esperado após a prova de nariz, e o final médio/longo, bastante taninoso.

Talvez venha a ser engraçado ver que tal aguenta 4 ou 5 anos em garrafa, mas duvido que resista a bebê-lo todo agora.

Acompanhou uma espécie de rancho.

Custou 10€, um pouco menos.

15,5