sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Leo d'Honor '2003

Castelão de vinhas velhas, com cerca de 60 anos, implantadas no solo arenoso de Fernando Pó, fermentou em cubas-lagar e estagiou durante 12 meses em meias pipas de carvalho francês. É o topo de gama da Casa Ermelinda Freitas.

O aroma aparece dominado por frutos vermelhos de concentração admirável, parte em compota, parte no limite da maturação, misturados com tabaco e especiarias. Menos nítidas mas igualmente presentes, notas de pele, terra e cogumelos completam um conjunto de perfil diferente do frutado-melado-especiado indefinido que habitualmente se associa à casta. Interessante.

Longo, volumoso, carnudo e muito intenso, conta com 14,5% de álcool, acidez bastante para lhe transmitir um frescor decente e muitos taninos, firmes mas não duros, já bem cobertos. Tudo combinado com equilíbrio. O pós-gosto é especialmente agradável.

Este vinho é uma besta. Pede comida. Uma besta que pede comida.

30€.

17,5