quarta-feira, 9 de março de 2011

Filmes (27)





De Andrzej Żuławski, com Isabelle Adjani e Sam Neill (1981). Alegoria para o divórcio onde os produtos dos desejos reprimidos dos protagonistas acabam por ganhar forma física, está impecavelmente fotografado e conta com gloriosas cenas de gritaria. Pena a aparição ocasional de um monstro de aparência dúbia e, acho que ainda mais, de breves momentos que remetem um gajo para Alerta Cobra e afins. No entanto, contando que nas duas horas que dura existirão, no máximo, 7 ou 8 minutos de coisas objectivamente tristes, facilmente dissociáveis do resto e que, na minha humilde opinião, não arruinam o todo, é um filme muito giro, que não posso deixar de recomendar.