sexta-feira, 27 de maio de 2011

Adega Cooperativa de Mealhada — Escolha dos Sócios '2008

Após anos difíceis, o produtor aparenta estar a levantar-se. Ainda bem. Numa toada menos positiva, continua a faltar informação. Lembro-me de aqui ter colocado as minhas notas de certa vez que, em 2009, bebi um espécime da colheita de 2001 deste mesmo vinho. Já na altura o sítio web do produtor estava indisponível, uma pessoa procura online e só encontra notas de imprensa repetidas pelos jornais locais . . . Falta divulgação, e era tão fácil! Mas que investimento, que recursos ia levar uma coisa pequena, simples, sem pretensões, mas tão maior que o que agora existe? Enfim, porque não? Das 7850 garrafas produzidas, abri a nº 860.

Baga e barrica, ou fruta vermelha terrosa e fumo de madeira verde. Bruto, herbáceo, muito intenso, de acidez mordente, com notas de baunilha doce a despontar por entre o amargo e o fumo, meu Deus, que mundo este! Mas nota-se que é um bom vinho, é tenso, firme e texturado. Abri-o cedo de mais, ainda se está a fazer. E como suponho que possa vir a tornar-se deveras interessante daqui a quatro anos, e depois, daí em diante, por mais uns quantos, seja ele bem guardado, desta vez, excepcionalmente, o numerozinho da qualidade, ao qual, de qualquer forma, já ninguém liga, uma vez que está fora de moda, vai reflectir mais a minha crença no futuro da coisa que o seu desempenho actual.

7€.

16