quarta-feira, 25 de maio de 2011

C.D.B. — Vino Nobile di Montepulciano '2008

Vino Nobile di Montepulciano é um tinto italiano de estatuto DOCG proveniente dos vinhedos que rodeiam a localidade que lhe dá o nome. É feito a partir de um mínimo de 70% de Prugnolo Gentile, nome local para o mesmo tipo de Sangiovese que é utilizado na elaboração do afamado Brunello di Montalcino, misturado com um máximo de 20% de Canaiolo Nero e, eventualmente, até 20% de outras uvas, que podem ser locais, e destas a mais relevante talvez seja a dita Mammolo, ou estrangeiras, desde que autorizadas pelo regulador, como por exemplo Cabernet Sauvignon ou Merlot. Envelhece (desde 1998) por um mínimo de 18 meses em barricas de carvalho, mais seis meses em algum outro tipo de recipiente, o que perfaz dois anos de estágio obrigatório; três se se tratar de um Riserva.

Para quem quiser saber mais sobre estes vinhos e a região de onde provêm, o sítio na internet do Consorzio del Vino Nobile di Montepulciano poderá constituir um objecto de leitura interessante, pelo que aqui deixo o respectivo enlace.

Falados que estamos da espécie, venha o espécime. Sem pedigree. Não é que tenha passado dias à procura, mas, coisa incrível, sobre quem fez este, não encontrei mesmo nada.

Vertido no copo sem decantação, mostrou cor rubi de concentração mediana. Pouca fruta no nariz: cereja macerada em álcool, caroço da mesma, figo seco, amêndoa amarga (o fruto, não o licor, que é doce) e uma amálgama difusa de ervas e especiarias, de certa forma, a fazer lembrar um Chianti "clássico". Com o arejamento, menos fruta, mais ressequida, pele e tabaco também. Diferente do habitual, sem dúvida. Aqui, o estágio prolongado não serviu para emprestar ao vinho tanino, essência de baunilha e côco ralado! Impressões que confirmou na boca, surpreendentemente polida, mediana em volume e rica em acidez, a amargar um pouco no final. Notei, no entanto, que lhe faltava algo. Como dizê-lo? Não objectivamente corpo, textura ou persistência, antes como se tivesse um oco no meio, como se todos aqueles cheiros, firmes, e ainda mais o ataque à boca, nos deixassem à espera de alguma coisa que depois não estava lá. Pena, porque se não...

Acompanhou sanduíches de chouriço e queijo de ovelha curado, levemente picante. Portou-se bem, sobretudo com este último.

5€.

15