segunda-feira, 30 de maio de 2011

Dona Belmira '2005

Beirão das Caves Vidigal. Deles, tenho mais presente na memória a falta de lucidez de alguns contra-rótulos que o conteúdo das respectivas garrafas — nunca mais me vou esquecer deste, por exemplo. Mas a esperança é a última a morrer, e no fim, há que reconhecê-lo, a experiência que tive com este vinho acabou por não ser nada má.

Directo ao assunto, em tom pseudo-telegráfico. Jaen, Touriga Nacional e Alfrocheiro. Granada escuro. Frutos pretos, maduros, quentes, com evidências de transformação, toques de compota e rebuçado, balsâmicos doces e ensanguentados. Um bocado abrutalhado, e mais pesado que generoso também, mas, de alguma forma, agradável, cativante até, um copo a puxar outro, e outro, e outro, sobretudo se aberto para a mesa, na companhia de pratos fortes.

Neste caso, acompanhou um chili razoavelmente picante. Cumpriu.

3€.

14,5