domingo, 8 de maio de 2011

Milheiro Selas '2006

Sucessor deste. Tudo o que acerca dele encontrei escrito, foi no rótulo que aparece fotografado: é só abrir a imagem e ler.

Escuro. No nariz, um miolo essencialmente composto por Baga surge complementado por notas mais opulentas, mais quentes e gulosas, provavelmente do binómio Touriga Nacional / Syrah. Ou seja: em conjunto centrado na fruta, vermelha, um pouco terrosa, límpida e quase sumarenta, algo como morangos e amoras silvestres ao natural, em expressão quase perfeita, acabados de recolher da natureza, surgem também notas mais escuras, fumadas e apimentadas e reminiscentes de ameixa e violeta. Faz mais sentido bebido que escrito, bem sei. Na boca, à semelhança do seu já referido predecessor, é um vinho intenso, cheio de sabor, de tanino nervoso e acidez vibrante. Ao contrário dele, no entanto, é curto e um pouco mais magro que o esperado.

4€.

15