domingo, 11 de setembro de 2011

Quinta do Javali — Special Reserve

Ao que tudo indica, este vinho sem data de colheita posiciona-se entre o Ruby normal e o LBV no portfolio do produtor. E aqui um aparte: estes senhores estão com uma presença na web muito fixe, que tanto informa como se promove sem cair em exageros. Visitá-la deixou-me com vontade de conhecer mais vinhos deles, o que sem dúvida virá a acontecer, a seu tempo.

Quanto a este: Escuro, mas não retinto. Concentração razoável, pena a relativa linearidade de aromas e sabores. Ameixa muito madura e passas de ameixa, uva e figo. A aguardente pareceu-me notar-se mais que o desejável, tal como os taninos, numerosos e algo brutos, farinhentos. Aparte isto, o binómio comprimento / volume revelou-se satisfatório, tanto em dimensões absolutas como em proporção.

Sem surpresas, revelou-se inferior a ambos os espécimes da mesma casa que anteriormente por aqui passaram, isto é, os LBV das colheitas de 2002 e 2005. A S. detestou-o. Eu, que trago comigo a bondade dos que tentam ver para além do simples gosto/não gosto, não tendo gostado, concedo que se trata de um Ruby perfeitamente aceitável, por assim dizer, na média da concorrência.

7€.

15