segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Casa Aranda — Malvasia Fina e Encruzado '2008

Ora aqui está um branco para os primeiros dias de frio. Não objectivamente branco de Inverno, pelo menos não corresponderá ao cliché do branco gordo e adocicado, de preferência velho, com falta de acidez. . . mas de alguma forma está lá. E o rótulo, como os demais da marca, tão giro.

Veio daqui. O contra-rótulo fala de "fermentação em inox e pequena parte em barricas de carvalho francês". Oh, o estilo, man, group. . . Carvalho francês, talvez a mais comum expressão neste blogue. Jesus, que amargo :)

Servido a 10ºC, foi aquecendo com o passar do tempo. Pouca cor. Seco e elegante, com algum corpo. Flores amargas, mijo de gato, tremoço e relva cortada de fresco sobre fundo persistente de casca de limão. Este o mais perpassante e definido aroma que lhe encontrei, um pouco como se fosse o pano de fundo a definir o cenário, mesmo não estando o palco vazio.

Pouca flor, pouca fruta. Mas bastante daquela neutralidade refrescante a que uns chamam mineralidade, outros vazio, outros coisa nenhuma. O álcool sente-se, mas não se impõe. E para não vos iludir, ou sabe-se lá se não deveria antes dizer dissuadir com a descrição desinspirada, para simplificar, terminarei dizendo, apenas, que gostei.

5€.

15,5