domingo, 2 de outubro de 2011

Casa da Passarela '2008

Apesar de apenas agora se estar a relançar — afinal, quem ou o que é que o levou à queda? — este produtor de Lagarinhos — Gouveia tem uma longa história, isto é, simplificando, quiçá de mais, vinhos muito bons durante muitos anos. Reza a lenda que se usaram uvas desta quinta na elaboração do Barca Velha e é facto que no presente, é de uma das suas vinhas que sai parte da matéria-prima do também sobejamente conhecido PaPe, de Álvaro de Castro.

Quanto ao exemplar abatido, trata-se de uma proposta de posição intermédia no portfolio do produtor. Nele predomina a fruta ao mesmo tempo madura e fresca que é usual encontrar-se nos tintos jovens do Dão. Mais vermelha que preta, arriscaria dizer. Mais concentração que peso ou persistência. Tudo redondo, tudo correcto, o álcool bem integrado e o final curto. Simples, limpo e apelativo, precisamente aquilo que se espera de um Dão jovem da sua gama.

3€.

15