quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Quinta de Gomariz — Loureiro '2010

De volta ao vinho, às provas. Desta vez, o espécime testado, um varietal Loureiro da Quinta de Gomariz, Sub-Região do Ave. As vinhas estão implantadas em solos graníticos com exposição a Sul; o mosto fermentou em inox e o vinho resultante foi engarrafado sem passar por madeira. Nesta colheita, encheram-se 30000 garrafas.

Simples e directo, um pouco à imagem da coisa contada, encontrei-o intenso e muito fresco; persistiu na boca com agulha bem integrada. Louro, flor de laranjeira, ervas verdes, toranja, lima, alguma densidade, bastante equilíbrio e levíssimo amargor no final. Gostei.

Acompanhou frango no forno, muito simples. Sim, este branco não tão ligeiro assim, com 11,5% de álcool, acompanhou frango no forno com grande competência. Misturei numa taça uma colher de chá de orégãos com meia colher de chá de rosmaninho e outra meia de tomilho, quatro dentes de alho esmagados e duas colheres de sopa de manteiga derretida. Com essa mistura, esfreguei o espaço situado entre a pele e a carne do animal; na cavidade, chamemos-lhe assim, enfiei-lhe um limão. Seguidamente atei-o e esfreguei-o por fora com sal, pimenta preta recém moída e pimentón ocal (deste). Foi ao forno pré-aquecido a 220 ou 230ºC, algures entre uma hora e uma hora e meia, até ficar bem.

Para acompanhar, cozi bróculos ao vapor; batatas também. Depois de escorridos, salteei os vegetais com tomilho, azeite e alho.

5€.

16