sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Maritávora '2007

Post nº 1001.

O vinho: Duriense de Freixo de Espada-à-Cinta, feito com Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional. Lê-se no sítio do produtor na internet que cerca de 40% do lote final foi vinificado em lagar, com pisa a pé, tendo estagiado 16 meses em barricas de carvalho francês. O restante fermentou e estagiou em cubas de inox. Encheram-se 17.000 garrafas.

Primeiro dia, directo ao copo: Muita cor. Espuma escura, de juventude. Ginja, amora (Morus, não Rubus), mato seco, folhas de chá e tabaco, tons de Touriga Franca. Gordinho e cheiroso, firme e bastante intenso. Gostei. Segundo dia: talvez um pouco menos circunspecto, mais sumarento, reteve o perfil morno e duro, de álcool e taninos. Aqui, morno e duro não apontam defeito. Procuram definir um vinho que quiseram ao mesmo tempo envolvente e sério, doce com uma ponta de rusticidade. Pena o final algo oco, ou seria muito bom.

8€.

16