terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

Quinta do Cardo '2010 (Branco)

Lote de Síria (80%) e Arinto, provenientes da vinha mais alta de Portugal, plantada a 700m de altitude, conforme se lê no contra-rótulo. Fermentou 2 meses em inox, passou mais um em jeito de estágio, sur lie, e depois engarrafaram-no. Lembro-me de passar na quinta de carro, sem avisar, sem intenção de entrar. Tudo deserto, silêncio raro, um cão cor de mel. O céu prometia chuva. Se encontrar as fotos, publico.

Organolepticamente falando, que o blog se fez assim há muito e agora falta vontade de mudar, a cor ficou imortalizada na fotografia. De cheiros e sabores, quis parecer-me um vinho simples mas correcto, não completamente linear, com notas de citrinos amargos (limão, lima) a desprenderem-se com força de uma espinha dorsal mais doce e persistente, vagamente tropical, a fazer lembrar banana, alperce (ou isso) e ananás. Mediano em força, volume e comprimento, mostrou-se no entanto bastante generoso no que toca à frescura. Posso não ter muito a dizer sobre ele, mas isso não implica que tenha algo de mal.

4€.

15