sexta-feira, 27 de julho de 2012

Palha Malhada '1999

Este veio de Silgueiros e foi o primeiro vinho lançado no mercado pela Qta. Vale das Escadinhas, que também produz o Qta. da Falorca, de que tanto gosto. As uvas, diz o rótulo, vieram de terreno granítico pobre, tendo o processo de vinificação ocorrido em lagar de pedra, com manta flutuante e maceração prolongada. Quanto a castas ou estágio, nem uma palavra, mas apostaria tratar-se de um vinho assente em Touriga Nacional, com breve (ou mesmo sem) passagem por madeira. Encheram-se 10000 garrafas, não numeradas.

Foi servido directamente da garrafa, com cuidado por causa do depósito, para dentro de balões amplos e largos, tipo "Borgonha". Estaria a 14 ou 15ºC. Cor atijolada, velha. Assim que vertido no copo, morango e melaço. A ganhar complexidade em questão de minutos, até revelar um conjunto evoluído e muito bonito, com notas de bosque, café, pinhões e bergamota. Completamente polido, mas retendo ainda alguma presença na passagem pela boca. No final da refeição, contudo, apenas típico vinho velho, a morrer rapidamente. Falecido o restinho deixado a título de experiência para a manhã do dia seguinte. É comum afirmar-se que não existe um determinado vinho velho, mas sim várias garrafas desse vinho. Esta, razoavelmente bem guardada, deu uma prova interessante durante duas horas, ou isso. Acredito que, com um pouco de sorte, seja possível encontrar espécimes mais vivos, e fico curioso. No entanto, face ao que esta garrafa mostrou, não posso deixar de sugerir a quem ainda o tiver que não espere mais. Terá custado 7 ou 8€, já não me lembro do valor exacto. Desta vez, a nota, 14,5, serve mais para estabelecer um termo de comparação com o prazer proporcionado pelos demais vinhos que tenho bebido que como tentativa de quantificação das virtudes da coisa provada.