quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Vale da Raposa '2008

É um dos vinhos de entrada do afamado Domingos Alves de Sousa. Foi servido directamente da garrafa, a mais ou menos 15ºC. Aos que sentem que é paneleiro andar constantemente atrás do vinho com um termómetro, poderá ser proveitoso o princípio que passo a citar, pepita de sabedoria mais ou menos universalmente atribuída a Ursula Hermacinski, uma ex-leiloeira de vinho (e cenas) na Christie's, mas que com toda a certeza já terá passado pela cabeça de uma pequena infinidade de cidadãos anónimos: "twenty minutes before dinner, you take the white wine out of the fridge, and put the red wine in".

O tinto: lote tipicamente duriense, de maceração e estágio curtos, ideado para beber jovem e já com um par de anos em cima, acabou por não fugir ao esperado, dados os seus predicados. Mostrou esteva e bastante fruta madura, quase toda preta, fresca mas não exuberante, notas de carvalho que juraria americano, mais coco que baunilha, alguma finura de corpo, taninos maduros, acidez moderada e um final razoável. Acompanhou adequadamente uns bocadinhos de peito de frango, salteados com cogumelos, que depois se envolveram em nata e se acompanharam com arroz basmati. Coisas simples.

4€.

15